IMPRENSA

06/04/2021IMPRENSA, Noticias, São Paulo

ABCP, 85 anos

Há quase um século, a indústria do cimento e a sociedade brasileira contam com um suporte de excelência em tecnologia aplicada ao cimento e seus subsistemas

 

“A ABCP é uma entidade irrequieta, que não diminui seu ritmo e nem deixa de experimentar novas soluções e parcerias, para manter viva toda e qualquer atividade, demonstrando ser importante e reconhecido ativo da indústria brasileira de cimento. Estamos prontos para desempenhar nosso papel e ampliá-lo quanto a sua importância, em defesa da indústria brasileira de cimento e da cadeia produtiva da construção civil que emprega o cimento e o concreto.”

Paulo Camillo Penna, presidente da ABCP/SNIC

 

Em 2021, a ABCP completa 85 anos. Desde 1936, a associação lidera e reúne centenas de experiências exitosas de desenvolvimento tecnológico e mercadológico no uso do cimento, principal matéria-prima do concreto e base das construções brasileiras. Por isso, a história da ABCP registra momentos importantes para a construção civil nacional e se confunde com o próprio desenvolvimento do país.

Uma rápida retrospectiva mostra alguns desses marcos históricos. A ABCP é uma das fundadoras da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) e do Ibracon (Instituto Brasileiro do Concreto) e deu suporte direto ao ciclo desenvolvimentista do Brasil entre 1945 e 1960. O apoio estratégico seguiu na década de 70. Junto com os Ministérios das Minas e Energia e de Transportes, e também com os sindicatos nacionais de cimento e de extração de carvão, assinou o “Protocolo 1979” (Protocolo do Carvão), cujas pesquisas contribuíram para reduzir o consumo de derivados de petróleo na produção do insumo. Para essa ação, a ABCP criou um grupo de trabalho (Engenharia de Qualidade) que se tornaria responsável pela qualidade de todos os cimentos produzidos no país e emissor da “marca de conformidade” do produto. A medida se mostrou acertada, pois na década seguinte a Associação lideraria a adesão pioneira e paradigmática da indústria do cimento ao Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade na Habitação (PBQP-H).

Ao longo dos anos, por meio da ABCP surgiram ou se desenvolveram – apoiados em estudos, normas técnicas e boas práticas – importantes sistemas construtivos à base de cimento: solo-cimento, alvenaria estrutural com blocos de concreto, revestimentos de argamassa, pavimento rígido, pavimento intertravado (pavers), calçadas, ciclovias, estruturas de concreto moldadas in loco e pré-fabricadas, telhas, tubos e aduelas, artefatos e paredes de concreto, entre outros.

Na esteira dessas tecnologias, visando sua consolidação e aprimoramento, a Associação investiu em uma estrutura laboratorial de excelência, promoveu o ensino continuado dos profissionais do mercado por meio de inúmeros cursos e congressos, inclusive em formato remoto (em 2020, durante a pandemia de Covid-19, foi criada a ABCPonLINE), e apoiou as respectivas cadeias produtivas, por intermédio de suas organizações representativas – caso, por exemplo, da Abcic, BlocoBrasil, Abai, Abrace e ABTC; outras, criadas por empresas do trade, contaram sempre com a parceria irrestrita da Associação, como Sinprocim, Abesc, IBTS e Abece, para citar algumas.

Economia e meio ambiente

A economia e o desenvolvimento econômico do país também sempre receberam atenção especial da ABCP, que ao lado do SNIC (Sindicato Nacional da Indústria do Cimento) busca fortalecer o setor da construção civil e as oportunidades de mercado. Além de participar ativamente de fóruns empresariais, como as federações estaduais da indústria (por meio da Sede e dos Escritórios Regionais), em 2018, antes das eleições para presidente da República naquele ano, a Associação aliou-se a outras 25 entidades para fundar a Coalizão pela Indústria, coletivo responsável por 7,3% do PIB, criado para defender uma agenda estratégica para a construção e ser interlocutor da indústria junto ao governo federal – o que vem ocorrendo desde então.

Além de tecnologias tradicionais colocadas no mercado, ABCP e SNIC trabalham juntos há várias décadas em temas caros ao país, como meio ambiente, sustentabilidade e racionalidade energética. Nesse aspecto, vale destacar a contribuição de ambos para a consolidação do coprocessamento de resíduos sólidos urbanos em fornos de cimento, um dos pilares do Roadmap Tecnológico do Cimento, proposto pela indústria para reduzir emissões de gases de efeito estufa. Recentemente, depois de exaustivo trabalho técnico da ABCP para o convencimento das autoridades sobre o benefício da tecnologia, o coprocessamento foi objeto de nova resolução federal, que se adequou ao conceito de economia circular e uso sustentável dos recursos naturais.

Pouco antes desse novo marco regulatório, quatro importantes entidades setoriais – ABCP (cimento portland), Abetre (tratamento de resíduos e efluentes), Abiogás (produção e aproveitamento do biogás) e Abrelpe (limpeza pública) – lançavam a FBRER (Frente Brasil de Recuperação Energética de Resíduos), cujo objetivo é  impulsionar a captação de energia a partir de rejeitos depositados em aterros sanitários. Ao nascer, a nova entidade já firmava com o Ministério do Meio Ambiente o Acordo de Cooperação para Recuperação Energética de Resíduos.

Inovação tecnológica

Outra linha de suma importância para a construção civil e para o país é a inovação tecnológica e aqui também a ABCP se faz presente. Além do trabalho realizado ao longo de oito décadas, buscando sempre soluções inovadoras e sustentáveis, em 2020, ao lado do SNIC, a Associação firmou convênio com a Escola Politécnica da USP para a criação de um hub de inovação e construção 4.0, o consórcio hubIC.

Ciente de seu papel como representante da indústria do cimento, a ABCP tem se empenhado, de forma geral, em debater e tentar superar os gargalos que impedem o desenvolvimento pleno da construção brasileira (como a indefinição de marcos regulatórios, a necessidade de modernização de políticas públicas e a restrição a investimentos). E para isso sempre trabalhou em conjunto com pares e entidades congêneres, formando alianças calcadas no compromisso com o país.

De fato, há muito o que celebrar no aniversário de 85 anos da ABCP (oficialmente, 5 de dezembro). Graças ao seu trabalho pioneiro e longevo, hoje a matéria-prima do concreto tem presença assegurada em milhões de edificações, rodovias e vias urbanas, barragens, equipamentos urbanos, portos e aeroportos do país. Essas obras, mais do que capital investido, representam qualidade de vida e segurança para milhões de pessoas.

Confira um pouco da história da ABCP e sua importância para o país em: ABCP 70 anos / ABCP 80 anos

Tags:, , , , , , ,