IMPRENSA

05/09/2012IMPRENSA, Noticias, São Paulo

ABCP e IAB premiam projetos que preveem soluções para moradias em áreas de risco

Entre as ações do Concrete Show South America 2012, no dia 30 de agosto, aconteceu a entrega do Prêmio Soluções para Cidades 2012, promovido pela ABCP e organizado pelo Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento São Paulo (IAB-SP), em que os alunos João Miguel Alves de Moura e Silva, Luis Fernando Tavares, Marinho Velloso, Pedro Akio Souza Hasse, Victor Piedade Próspero, da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (USP), orientados pelo professor Angelo Bucci, foram proclamados vencedores.

Os estudantes desenvolveram projetos para uma região com 133 famílias em situação de risco. Os trabalhos avaliados pela comissão julgadora consideraram as propostas para estruturas de contenção, tipologia da habitação e implantação de áreas de lazer, comércio, serviços e espaços públicos.

O projeto vencedor se destacou pela atenção à escala e às características físicas e ambientais da área estudada. Os autores propuseram uma via circular, denominada “cota segura de implantação”, considerando unidades habitacionais isoladas, formadas por módulos pré-fabricados, agrupáveis de diversos modos. Eles desenvolveram também uma espécie de anel superior, composto por um anfiteatro, cujo palco representou um grande parque de drenagem, respondendo adequadamente ao manejo das águas. Uma praça rodeada por comércio e equipamentos públicos foi definida como entrada desse conjunto, integrando a vida urbana às áreas habitacionais. Outro diferencial do projeto foi a solução de grandes peças de concreto pré-moldadas como estruturadora espacial das unidades de habitação. A ideia, além de atender à grande escala para resolver o problema do déficit habitacional, conseguiu um resultado formal de alta qualidade e interesse.

Victor Próspero, que formou a equipe vencedora, ficou sabendo do concurso pela internet e o que motivou sua participação foi o interesse pelo tema. Dois integrantes do grupo de Próspero, João Miguel e Marinho Veloso, são monitores de uma disciplina cujo foco é habitação na USP.

Os ganhadores do 2º lugar, também da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (USP), foram Alice Sequerra Mahlmeister, Ana Paula de Oliveira Lopes, Rafael Igayara da Silva Ramos e Jaime Solares Carmona. O trabalho, orientado pela professora Anália Maria Marinho de Carvalho Amorim, chamou a atenção pelas boas ideias relacionadas à utilização de cotas mais altas para a circulação e o acesso às tipologias verticalizadas, além de boas respostas para a necessidade de ampliação das unidades depois de terminadas as obras. Os autores buscaram inspiração no arquiteto Lelé e no projeto Elemental do arquiteto chileno Alejandro Aravena para chegar às soluções construtivas e arquitetônicas.

O 3º lugar ficou com estudantes do Centro Universitário Univates, no Rio Grande do Sul. O projeto de Cristiane Lavall e Gisele Paula Giongo, orientado pelo professor Alex Carvalho Brino, apresentou um “esquema compositivo” que deu clareza aos problemas da localidade, com remoção das moradias localizadas nas áreas de maior risco e provisão habitacional concentrada, mesclada a equipamentos urbanos e comércio na área de topografia mais favorável.

As menções honrosas foram atribuídas aos projetos de Wesley da Silva Medeiros e Richard Lins Nogueira, da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), orientados pelo professor Fábio Duarte de Araujo Silva, a Alexandre Engel Budiner Hollermann, Artur Pretto Junqueira e Janaína Kuhn, do Centro Universitário Univates, orientados pela professora Luciane Stümer Kinsel Flach, e a Alexandre Francisco Gil, Daniela Sönksen de Siqueira e Tomas Antonio Giannattasio Bozeda, da Universidade Presbiteriana Mackenzie, orientados pelo professor Daniel Corsi da Silva.

Esta foi a 2ª menção honrosa de Richard Lins Nogueira e Wesley da Silva Medeiros. Os dois costumam participar de concursos na área de estudo para diferenciar o currículo e, futuramente, obter melhores oportunidades profissionais. O prêmio para o melhor trabalho foi de R$ 5 mil; segundo e terceiro lugares receberam R$ 3 mil e R$ 2 mil, respectivamente.

Tags:, , ,