Banco de pautas

10/08/2011Banco de pautas, IMPRENSA

ABCP participa do V Congresso de Municípios da AMA com soluções em sistemas construtivos industrializados

Os métodos construtivos racionalizam a geração de resíduos, favorecendo o meio-ambiente e o desenvolvimento regional sustentável

 

ABCP, 9 de agosto de 2011 – O desafio de crescer sem comprometer a qualidade de vida de futuras gerações é um dos motores da construção industrializada, cujas soluções construtivas para habitação, infraestrutura urbana e urbanização de favelas serão apresentadas pela ABCP durante o V Congresso de Municípios da AMA (Associação dos Municípios da Araraquarense). O evento abrange todas as cidades do Estado de São Paulo, com ênfase nos 120 municípios do Noroeste paulista, e reúne administradores públicos e especialistas em São José do Rio Preto, entre os dias 10 e 12 de agosto.
Os mais de 30 projetos da Associação ilustram bem a capacidade de gerar progresso com responsabilidade ambiental, indo ao encontro do tema do evento “Desenvolvimento Regional Sustentável” e às preocupações de administradores públicos quanto ao descarte de materiais e geração de resíduos.
Um exemplo dessa afinação está no uso do concreto moldado in loco e alvenaria estrutural para construção de casas populares. O sistema, além de mais rápido, evita incorreções na compra de materiais, facilita o gerenciamento do projeto e permite um canteiro enxuto, com sensível redução dos descartes. Em relação a melhorias habitacionais, os projetos da ABCP prevêem a revitalização de favelas e a implementação de um modelo sustentável para a reforma das moradias.

Para o engenheiro Ricardo Moschetti, gerente regional da ABCP São Paulo, são muitas as soluções que têm por objetivo a melhora nas condições de vida da população e que ao mesmo tempo expressam o compromisso de poupar recursos, sendo ambientalmente amigáveis. “Pavimentos de concreto, por exemplo, por terem um ciclo de vida maior, evitam paradas para manutenção e obras de recapagem. Isso significa mais fluidez no tráfego, com melhora na qualidade do ar que respiramos. A coloração clara é outra vantagem. A reflexão da luz gera uma economia na iluminação pública de até 30%”, afirma Moschetti.
No caso dos sistemas que favorecem a acessibilidade, como a utilização de blocos de concreto para calçamento, com sinalização embutida, os benefícios alcançariam também subsistemas subterrâneos, por permitirem a montagem e desmontagem a qualquer tempo, sem quebras ou resíduos.

“Em São José dos Campos, cidade do Vale do Paraíba, temos um exemplo emblemático. Ali, firmamos uma parceria para a transferência de conhecimento técnico e orientação de profissionais envolvidos em projetos urbanos, bem como seus gestores. Trabalhamos o conceito de “desenho universal” para a padronização dos passeios públicos (calçadas), garantindo autonomia e segurança para o pedestre caminhar”. O objetivo da ação é, em última análise, oferecer uma paisagem urbana mais bonita, mais segura e acessível a toda população por meio de calçadas com concreto moldado in loco, ladrilhos hidráulicos, pavimentos intertravados e placas de concreto.

A preferência por eletrodomésticos que consomem menos energia e a adoção de ações como a separação e a reciclagem do lixo em casa são bons indicativos de que a população está mais consciente e preza por boas práticas. As autoridades políticas respondem a essa demanda quando se reúnem para trocar experiências e conhecer programas e projetos que podem favorecer a gestão pública no que tange às reivindicações do eleitor. Nesse sentido, diz Moschetti, é importante firmar parcerias para que os recursos provenientes de emendas parlamentares sejam aplicados em benefício da população. Isso requer o cumprimento de pré-requisitos, como os que demandam estrutura profissional e conformidade técnica.

Para Moschetti, esse é outro avanço do setor da construção civil com vistas ao desenvolvimento sustentável. “Com ações de transferência de tecnologia, contribuímos para a cadeia produtiva, orientando fabricantes e executores de obras para adoção de melhores práticas. Em paralelo, orientamos gestores públicos para a formatação de projetos dentro do que regem as normas técnicas brasileiras”, destaca o engenheiro.
O público que visitar o V Congresso de Municípios da AMA poderá conhecer mais sobre os projetos no estande Soluções para Cidades da ABCP.

Serviço:
V Congresso de Municípios da AMA Data: de 10 a 12 de agosto de 2011
Local: Ipê Park Hotel, Rodovia Washington Luís, Km 428, Cedral, em São José do Rio Preto/SP.
Mais informações pelo site www.amasp.com.br

 

Sobre a ABCP – A Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP) é uma entidade sem fins lucrativos, mantida pela indústria brasileira do cimento, que há 75 anos promove estudos sobre o cimento e suas aplicações. Reconhecida nacional e internacionalmente como centro de referência em pesquisas da construção, a ABCP também atua no desenvolvimento de tecnologias sobre o concreto e mantém uma equipe de profissionais graduados à disposição do mercado, para treinamentos, consultoria e suporte a grandes obras da engenharia brasileira. Tudo isso para garantir a qualidade e as boas práticas do produto que representa. Para saber mais sobre a ABCP, visite o site www.abcp.org.br

Tags:,