Caro usuário, este site utiliza cookies para ajudar a fornecer a melhor experiência on-line possível. Leia nossa Política de Privacidade para saber mais sobre as informações que coletamos em nosso site e sua finalidade. Ao continuar a usar este site, você concorda que podemos armazenar e acessar cookies no seu dispositivo.

IMPRENSA

02/09/2015IMPRENSA, Noticias, São Paulo

Concrete Show reuniu mais de 30 mil pessoas em três dias

 

A instabilidade do cenário econômico não atrapalhou as vendas dos expositores da nona edição do Concrete Show South America, que aconteceu em São Paulo, de 26 a 28 de agosto. O evento reuniu mais de 30 mil profissionais da construção civil e da cadeia produtiva do concreto, que puderam constatar a retomada da atividade no setor da construção.

Tradicional expositor da feira, a  Putzmeister – empresa de equipamentos para bombeamento, transporte e projeção de concreto – aproveitou os dias de evento para fechar negócios. “Acabamos de vender uma bomba-lança de 36 metros de altura, capaz de fazer a distribuição de concreto e o bombeamento em altura ou lugares confinados. O valor da transação foi de R$ 840 mil. O negócio superou nossas expectativas, pois viemos com o objetivo de fazer networking com os nossos clientes em potencial”, contou o diretor comercial da empresa, Rodrigo Satiro. O executivo disse que, com o mercado menos aquecido, o foco da Putzmeister está direcionado ao setor de serviços. “O segmento da locação de equipamentos vem gerando receita considerável”, disse.

Quem também destacou a qualificação da visitação da feira e o potencial de fechamento de negócios como pontos altos do Concrete Show foram os executivos da Schnell, empresa de ferragens e pré-moldados. “Participamos todos os anos deste evento e nesta edição cerca de 200 profissionais estiveram no nosso estande com real interesse em fechar negócios. Um destes contatos nos rendeu a venda de um PS4 para coluna soldada, no valor de R$ 400 mil”, contou o técnico da empresa Eduardo Teixeira.

A Soldac, empresa de sistemas de captura e filtragem de partículas, que expôs pelo segundo ano consecutivo na feira, também fechou negócios. “Apresentamos um produto nacional e atendemos quase 250 pessoas interessadas. O volume de vendas foi muito bom”, afirmou o diretor industrial da empresa, Douglas Cortez, que acrescentou ter comercializado três equipamentos, no valor total de R$ 75 mil.

 

Expectativas superadas 

O sucesso do evento já era algo esperado para o presidente da ABCP (Associação Brasileira de Cimento Portland), Renato Giusti. “A situação está difícil para o Brasil como um todo, mas os principais players participaram do evento e a visitação foi qualificada, por isso, por mais um ano, ficamos satisfeitos com a nossa parceria com a UBM”, apontou.

O diretor do evento, Cassiano Facchinetti, também declarou que teve as expectativas superadas com a qualificação do público visitante e com o volume de negócios gerado na feira. “Um dos nossos expositores revelou que vendeu 14 máquinas nesta edição do Concrete Show, o que consideramos muito positivo para atingir nosso objetivo com este evento, que é sermos parceiros estratégicos no desenvolvimento da indústria e do mercado. Os congressos realizados também geraram grande interesse, uma vez que propagaram conhecimento técnico a um público ávido por atualizações. A parceria com as associações mostrou-se muito proveitosa, pois são elas quem detêm o conhecimento”, disse.

 

Em ano de crise, qualificação do público visitante reforça otimismo do setor 

Embora ainda não tenha contabilizado todas as negociações feitas durante a feira, o gerente de Marketing da Schwing Stetter, Marcos Almeida, destacou a qualificação de público como um dos pontos altos da Concrete Show. “Estamos muito felizes com nossa participação, que gerou frutos além do que esperávamos. Participamos de todas as edições da feira e a cada ano ela só melhora. Recebemos somente visitantes realmente interessados nos equipamentos e na nossa marca. Podemos ficar perto de nossos clientes e prospectar novos negócios”, explicou o gerente de marketing da empresa, que produz equipamentos direcionados ao segmento de concreto.

Por mais um ano expondo na feira, a Liebherr, fabricante de equipamentos, também ficou satisfeita com o público desta edição. “Percebemos que este ano o público estava ainda mais qualificado, sendo a maioria com foco em fazer negócios e encontrar novos fornecedores. Para nós, foi muito satisfatória a participação na feira porque nosso objetivo final é o relacionamento com o nosso cliente”, afirmou a analista de marketing da empresa Tatiana Bielefel.

Entre os visitantes do evento, as inovações tecnológicas e a presença de players estratégicos deram o tom do Concrete Show 2015. “Encontramos esses fornecedores no evento e conseguimos novos contatos. Nosso objetivo de buscar novos fornecedores para a construtora Rogga foi atingido”, disse o responsável pelo setor de suprimentos, André Paschoal, que marcou presença no terceiro dia de Concrete Show.

Buscando novas soluções para a CF Tecnologia Construtiva, empresa que presta assessoria a pequenos construtores que buscam viabilizar formas econômicas e atraentes para construções de médio padrão, o técnico Carlos Fabiano Silva também marcou presença no terceiro dia de evento. “Encontramos alternativas bastante viáveis e novos contatos que podem se tornar oportunidade de negócios”.

Quem também veio em busca de novidades do setor para adotar no dia a dia do trabalho foi o engenheiro residente em uma termoelétrica do país José Augusto Pena, do Grupo Santin. “Vim com foco na parte de concreto e usina e encontrei muitos equipamentos novos, soluções inovadoras e softwares para projetos. Estou muito satisfeito”.

 

Seminário discute a importância de padronizar obras de habitação social 

Com o crescimento do número de obras focadas em habitação social, como o Minha Casa Minha Vida, o governo definiu como prioritário garantir o cumprimento de padrões mínimos de desempenho para as moradias construídas no país, conforme prevê a norma NBR 15575. No seminário “Alvenaria Estrutural do Programa Minha Casa Minha Vida”, realizado no terceiro dia do Concrete Congress, evento de conteúdo do Concrete Show South America, a coordenadora geral do PBQP-H (Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade do Habitat), Maria Salette Weber, destacou a importância de as empresas estarem capacitadas para atender às normas. “Todos os materiais e componentes utilizados na construção de moradias populares precisam atender aos requisitos estabelecidos pela norma. O papel do PBQP-H é justamente auxiliar as construtoras e seus fornecedores a entender como atender estes requisitos”, explicou. Para o engenheiro Gabriel Acácio, da JB Blocos de Concreto, o debate sobre o tema é fundamental para o desenvolvimento dos profissionais. “Achei o curso ótimo, pois são engenheiros muito experientes que o ministraram. Eles dão dicas e macetes aprendidos em situações dos canteiros de obra que eu ainda não vivenciei”, contou.

 

Concrete Congress debate técnicas de alto desempenho 

Ainda durante o congresso, outro seminário, desta vez com o tema “Pisos e Revestimentos de Alto Desempenho”, debateu a aplicação de produtos e as necessidades dos profissionais deste setor. “Quem trabalha nesta área precisa examinar bem o material utilizado e as condições do espaço de aplicação. Qual é o perfil dos usuários? É importante colocar os interesses comerciais de lado e avaliar a temperatura, umidade do ar do espaço, quais componentes serão utilizados e quais são os riscos de contaminação”, apontou o engenheiro Levon Hagop Hovaghimian. Para o presidente da Anapre (Associação Nacional de Pisos e Revestimentos de Alto Desempenho), Ariovaldo Paes Junior, os seminários do Concrete Congress são uma oportunidade para o profissional que tem a vivência do cotidiano operacional atualizar informações para direcionamento de negócios. O congressista e gerente técnico de uma empresa concreteira, Eduardo Queiroz, concorda. “Aqui consigo ouvir a opinião de especialistas e ouvir informações que impactam diretamente no meu trabalho”, afirmou.

O presidente da Abesc (Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Concretagem), Jairo Abud, também ressaltou a importância do conteúdo para o sucesso do Concrete Show como evento e também dos profissionais do setor que visitam a feira. “O conteúdo é o caminho que a feira deve sempre perseguir. Para mim, hoje o Concrete Show é um forte evento do setor que apresenta novidades construtivas, mas que também oferece muito conteúdo de qualidade. Um exemplo disso é que este ano os próprios expositores organizaram palestras dentro de seus estandes”.

 

Próximo encontro

Em 2016, o Concrete Show comemora uma década de existência. A próxima edição do evento acontece de 24 a 26 de agosto de 2016, no São Paulo Expo, na capital paulista. “Tínhamos certeza que o setor da construção civil, com toda a sua pujança, responderia bem às oportunidades de negócios e inovações que nossos expositores trouxeram para o evento. Agora, nosso compromisso é de, em 2016, fazer um evento ainda melhor, sempre com o compromisso de trazer aos empresários e representantes do setor soluções que gerem eficiência operacional e também, sempre que possível, redução de custos”, conclui Jean-François Quetin, presidente da UBM Brazil.

Texto: Assessoria de Imprensa Concrete Show / ABCP

Tags: