Caro usuário, este site utiliza cookies para ajudar a fornecer a melhor experiência on-line possível. Leia nossa Política de Privacidade para saber mais sobre as informações que coletamos em nosso site e sua finalidade. Ao continuar a usar este site, você concorda que podemos armazenar e acessar cookies no seu dispositivo.

IMPRENSA

19/09/2011IMPRENSA, Noticias, Rio de Janeiro/Espírito Santo

PBQP-H/MC e EMOP participam do encontro de produtos de cimento

O Sindicato Nacional da Indústria de Produtos de Cimento (Sinaprocim), com apoio da ABCP RJ e do Sebrae/RJ, promoveu o “Encontro Nacional Empresarial das Indústrias de Produtos de Cimento”, no Rio de Janeiro. Foram apresentadas ações em prol da construção civil nas esferas política, econômica e técnica com o intuito de promover a integração, o fortalecimento e a preparação das indústrias de produtos de cimento. O objetivo é acompanhar o desenvolvimento do setor nos próximos anos.  As iniciativas estão relacionadas à Copa de 2014 e aos Jogos Olímpicos de 2016.

A reunião teve a participação do presidente do Sinaprocim, José Carlos de Oliveira Lima; do presidente da Empresa de Obras Públicas do Estado do Rio de Janeiro (EMOP) Ícaro Moreno Júnior; da coordenadora do Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat (PBQP-H), do Ministério das Cidades (MC), Maria Sallete, professor e projetista de estruturas Bruno Contarini e do gerente regional da ABCP, Eduardo D’Ávila.

“Precisamos de qualidade e tecnologia, pois o mercado está aquecido. Se formos eficientes nesses investimentos, seremos vitrine para a Copa de 2014 e para as Olimpíadas de 2016. Se não, seremos apenas vidraça”, observou o presidente do Sinaprocim na abertura do encontro.

Ator ativo nos canteiros de obra fluminenses, Ícaro disse que o encontro foi muito produtivo. “O Brasil está avançando, mas falta planejamento. Não dá para resolver tudo na obra. É preciso investir em capacitação, sobretudo de universitários, tecnologia, além de melhores execução, preparação de projetos e licitações. Temos uma carteira de R$ 4 bilhões para investir”, revelou.

O “Programa de Desenvolvimento Empresarial (PDE) para Indústria de Artefatos de Concreto RJ: O que é? Como pode ajudar os fabricantes?” foi o tema abordado pelo gerente da ABCP RJ/ES, Eduardo D’Ávila, que destacou os resultados do setor no Rio de Janeiro, sobretudo fomentado pela Copa e Olimpíadas.

A coordenadora do PBQP-H tratou dos “Programas Setoriais da Qualidade (PSQ) – Ações de Melhoria e Combate da Não Conformidade”, enfatizando que “organização” é crucial. “Organizar o setor é importante para melhorar a origem da cadeia produtiva e combater a não-conformidade intencional, o que reduz desperdício, aumenta a sustentabilidade, diminui custos, aumentando o lucro”.

Tags:, , ,